Google+ Followers

sábado, 16 de junho de 2012

Naturezas-mortas

Quando somos crianças (e até um pouco mais crescidinhos) há coisas que nos fazem confusão...
Para mim, uma delas era o título de certos quadros, que representavam normalmente coisas bonitas e algumas bem apetitosas... naturezas-mortas!
Pois estas maçãs e laranjas, tão a jeito de estender a mão, são, para além de maçãs e laranjas , uma natureza-morta?


Paul Cézanne,Pommes et oranges, vers 1899,huile sur toile, musée d'Orsay, Paris, France
E outros
com belas cerejas...
Pêssegos

Cestos de fruta,
cachos de uva caindo dos bordos das fruteiras

Tudo de fazer crescer água na boca...

Aquela palavra «morta» fazia-me confusão...
E afinal, natureza-morta é só um nome para as representações de objectos inanimados.
Algumas das naturezas-mortas cá de casa

Uma flor num solitário - quase morta

Uma violeta num vaso - bem vivinha







                                          Flores numa jarra - quase mortas
                                                   
Este morreu muito depressa...


Este nunca esteve vivo



Estas estão completamente mortas

6 comentários:

  1. ah, ah, ah...então tinhas a mesma dúvida que eu, a fruta parece-me (e é) viva, chamarem-lhe natureza morta ofende-a de certeza.

    Em retribuição, e para que não sintam que ninguém pensa nela, o poema do Eugénio a que encontro um saber de paladar


    Frutos

    Pêssegos, pêras, laranjas,
    morangos, cerejas, figos,
    maçãs, melão, melancia,
    ó música de meus sentidos,
    pura delícia da língua;
    deixai-me agora falar
    do fruto que me fascina,
    pelo sabor, pela cor,
    pelo aroma das sílabas:
    tangerina, tangerina.

    Eugénio de Andrade

    pobres dos que estão completos na morte. Triste miséria é não ser sendo ainda.

    Acabaste em melodrama gastronómico?!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelas tuas palavras e pelas outras palavras que aqui deixas... pelo «aroma das sílabas»... Que bonito!
      Deve ser das «Flores e dos frutos», mas não o tinha na memória.
      Bjs querida amiga

      Eliminar
    2. Acho que queria dizer «As mãos e os frutos»...:)

      Eliminar
    3. Ou será «Daquela nuvem e outras», vinte poemas para crianças? Agora este está a cheirar-me melhor...:)
      tangerina, tangerina, minha querida amiga gina:)))))

      Eliminar
  2. E não há fotos, mas estou a fazer um doce de alpece nunca antes experimentado; e como sempre, a olho, que é sem balança, de umas vezes mal outras assim assim (está-se queimando, o parvalhão). Uma forma de prolongar alguém na minha casa, que teve a bondade e o bom gosto de me dar o prazer da sua companhia e me deixou uns frutos que apodreciam inglórios. E agora talvez façam uma viagem dentro de um frasquinho. Em breve.
    E esta? Gostaste, avózita?

    Pois não sei que diga à tua rima:) talvez que o tempo diga o que não é de dizer.
    Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece-me uma boa notícia, esta, da possibilidade de receber P.M.P. uma natureza-morta tão deliciosa...
      Bjs

      Eliminar