Google+ Followers

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Destino...

Então não é que a C. fica a olhar atentamente?...

A verdade é que começamos por gostar...
As coisas começam por nos afectar sem que saibamos porquê...

Talvez cheguemos a compreender...mas muito mais tarde...

domingo, 18 de setembro de 2011

Bichos grandes

Há bichos grandes
Que mordem nos meninos pequenos, não é J.?
Este, por exemplo



É claro que este é outro animal grande de que não gosto!!!

Doidas andam as galinhas

O J. já aprendeu esta...

Lá em cima está o tiroliro...

Esta é daquelas que me saem naturalmente...
Também a cantavam para mim

Lá em cima está o tiroliroliro,
Cá em baixo está o tiroliroló
(repete) 
Sentaram-se os dois à esquina
A tocar a concertina 
A dançar o solidó
(repete)

Comadre rica comadre
Gosto muito da sua afilhada
(repete)
É bonita apresenta-se bem
Parece que tem 
A face rosada
(repete)

sábado, 17 de setembro de 2011

Um saco para a C.

A C. entrou este mês para a creche.
Entre outras coisas, precisa de levar um saquinho e uma almofada.
O saco ficou assim:

Fuxico com botão: pormenor
Pormenores

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Estes animais já não existem

E, pessoalmente, acho uma boa ideia. Como o J. sabe, a avó não gosta de certos animais...

Apesar de tudo o que existe ou existiu na natureza valer o nosso interesse...
Na minha opinião, o valor dos dinossauros tem estado um tanto ou quanto inflaccionado...

De qualquer modo...  
Parque Jurássico na Lourinhã?
Espero bem que ainda seja feito a tempo de lá poder ir com a J. e a C.
Hoje em dia, todo o futuro é incerto!

Notícia aqui:
http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=50888&op=all


 Evolui ou morre! Penso que esta dura lei da natureza tem muitas vantagens...
Prefiro sabê-los num museu do que numa selva perto de mim...

Bom dia!

Nunca ouvi senão a meu Pai...
E lembro-me como repetia, com toda a ênfase
e muito senhor da sua graça...

- Bom dia, muito bom dia

Diz o melro p'ra cotovia...

E a cotovia? Que dizia?

- Bom dia, muito bom dia...

E não é que gosto disto?

Ainda não chegou a altura de o entoar ao J. e à C.. Mas falta pouco!


Tão balalão

Como é que só hoje me lembrei do Tão balalão???!!!
Desta toada que acompanha um balouçar divertido...

Tão balalão
Cabeça de cão
Orelhas de gato
Não tem coração

Tão balalão
Cabeça de cão
Menino(a) bonito(a)

Não tem!?...                                                                     Coração!!!

terça-feira, 13 de setembro de 2011

O silêncio e a voz

Quase nem queria acreditar...
A C., depois de uma viagem de avião, a caminho de casa e com fomeca...
Depois de recusar o leitinho no biberon...
Começa a rabujar e logo a chorar...
Quando pensava que a solução só se encontraria no sossego da sua casa
Diz a mãe:
- Canta Ó Clarinha... que ela gosta!
E começámos a cantar....


(por muito mérito que possa ter este trabalho da Ana Faria, que eu saiba a maior parte destas canções de cor
e que os meus filhos as tenham ouvido, não simpatizo muito com a sua voz...)

E não é que a C. se silenciou para ouvir????

Ela viu um sapo



Como não podia deixar de ser... a canção da pequena Maria Armanda que fez sucesso pelos anos oitenta e passou a ser considerada património do cancioneiro infantil português....
Em versão hip hop




O J. já conhece esta canção...

Eu vi um sapo

Era de noite.
Saio para ir ao contentor
Na semiobscuridade vejo qualquer coisa no chão na qual ia tropeçando
E que não percebi de imediato o que era
De repente
mexe-se

E reconheço
UM SAPO!!!!!!!
Tenho um sapo no quintal!!!!

Olha p'ra ele aqui:










E aqui:






Que nome dar ao nosso sapo?





Desafiam-se os ilustres visitantes deste blog a dar sugestões.
O J. decidirá o nome do sapo do quintal dos avós.
E só espero que o J. ainda possa ver o novo morador numa destas noites frescas com que se despede o Verão...

                                                                   

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

O girassol




Esta flor gigante girou com o sol o ano passado, presa ao chão do nosso quintal.
Estava no meio de outros girassóis que davam um ar diferente a este nosso pedacinho de terra.
 Eu gostava de os ver com aquele ar de gente, ora cabisbaixos, ora altivos, sempre um pouco desleixado...

Não sei o que teria pintado Van Gogh se não existissem girassóis! 
Não sei se Van Gogh teria sido Van Gogh sem estes girassóis!

Doze girassóis numa jarra, 1888




















Ora aqui está um bom pretexto para falar de Van Gogh ao J. e à C.!

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Mafagafos

Esta também ouvia a meu Pai...

Um ninho de mafagafos
Com sete mafagafinhos
Quando a mãe mafagafa guincha
Os sete mafagafinhos
Põem-se todos a mafagafaguinchar

No cimo da sebe seca

No cimo da sebe seca
Papa a pega a fava seca
Porque papa a pega a fava 
e não papa a fava a pega?




Vozes de animais

Só sei esta de cor...
E recordo o meu Pai que sabia todas as quadras... Como eu gostava de o ouvir!

Palram pega e papagaio,
E cacareja a galinha
Os ternos pombos arrulham
Geme a rola inocentinha.
                                                                                                                           







Ó lua que vais tão alta

De vez em quando, com lua à vista ou sem ela, dá-me para dizer isto:

Ó lua que vais tão alta
Redonda que nem tamanco
Ó Maria dá cá escada
Qu'eu n'agrego lá c'um banco!



Dentro de pouco tempo espero andar a entoar isto ao J. e ele a repetir...Mas, para isso, preciso de aguardar uma noite limpa de lua cheia,
olhá-la bem com o J.
e dizer esta quadra
e desatarmos a rir os dois...
E se o J. tem um riso lindo!!!

Depois, havemos de procurar o homem que carrega silvas (o avô diz que se vê bem que lá está!)...
Ou olhar para a lua e ver uma cara de mulher triste...

Isto vai ser um assunto a debater...
E, nessa altura, vamos precisar da opinião da C.
Vai demorar!!!

Depois, muito depois, ainda hei-de contar ao J. e à C. que há muito, muito tempo, os homens pensavam que a lua era feita de uma matéria diferente da Terra... pois assim tão brilhante, tão brilhante, devia ser especial!!