Google+ Followers

sexta-feira, 21 de março de 2014

Dia Mundial de Poesia (3)

Conheço pouco poesia infantil. Apesar disso, atrevo-me a considerar a poetisa brasileira Cecília Meireles a que melhor consegue fazer poesia para crianças.
Parece simples? Parece. 
É simples? É. 
Aí está o talento.

Dedico especialmente ao J. 

O ECO

O menino pergunta ao eco
Onde é que ele se esconde
Mas o eco só responde: «Onde? Onde?»

O menino também lhe pede
«Eco, vem passear comigo!»

Mas não sabe se o eco é amigo
Ou inimigo.

Pois só lhe posso dizer:
«Migo!»




Dedico especialmente à C.

A Bailarina

Esta menina
tão pequenina
quer ser bailarina

Não conhece nem dó nem ré
mas sabe ficar na ponta do pé.

Não conhece nem mi nem fá
mas inclina o corpo para cá e para lá.

Não conhece nem lá nem si
mas fecha os olhos e sorri.

Roda, roda, roda com os bracinhos no ar
e não fica tonta nem sai do lugar.

Põe no cabelo uma estrela e um véu
e diz que caiu do céu.

Esta menina
tão pequenina
quer ser bailarina.

Mas depois esquece todas as danças,
e também quer dormir como as outras crianças.



E o que dedico ao T.?

Uma porta é para abrir
Um degrau é p'ra subir

A sopa é para comer
A água é p'ra beber

A orelha é para ouvir
A boca é p'ra sorrir

A cama é para dormir
Ai que não quero ir, não quero ir...

( Não vá alguém não dar por isso...este poema não é da Cecília Meireles. Tem uma autoria mais caseira...)






quinta-feira, 20 de março de 2014

Primavera cá em casa

Cá por casa a Primavera já se vinha anunciando.

Se não fosse este saber das flores que me entra pelos olhos dentro logo de manhã, não conseguiria perceber que o Inverno não é eterno.



A Primavera segundo a ciência

Segundo a ciência, a Primavera tem hora e data variável de (re) nascimento. Assim, 
«na cultura popular, a Primavera começa no dia 21 de Março. Mas não: o tempo do verde, das flores e das alergias chega nesta quinta-feira, dia 20, às 16h57 em Portugal.
É esta a data e a hora exacta em que este ano se assinala o equinócio da Primavera no país. Neste preciso momento, o Sol estará a cruzar o chamado equador celeste, isto é, a projecção do plano equatorial da Terra no espaço. O equinócio da Primavera está associado a outra característica mais fácil de se compreender: marca a data em que o dia e a noite têm a mesma duração, ou seja, 12 horas.
Nada disso, no entanto, é tão simples assim. A começar pela data. Os equinócios da Primavera não distam no tempo por um número exacto de dias. Na verdade, são 365 dias, cinco horas, 48 minutos, 45 segundos e duas décimas. “A conta do ano civil não consegue bater exactamente com o período entre os equinócios”, diz Rui Jorge Agostinho, director do Observatório Astronómico de Lisboa.
retirado daqui: http://www.publico.pt/ciencia/noticia/primavera-a-21-de-marco-nao-amanha-as-16h57-1628887
Sempre me fascinou na ciência a exatidão.
Só que com exatidão ou sem ela, de há muito que a primavera se anunciava. 

sábado, 15 de março de 2014

A Mosca

Finalmente!
Alguém que me compreende!


É que tenho esta questão por resolver!
Agora sei que não sou só eu.
Fui encontrar alguém na minha situação num dos muitos livros da C.

Os livros para crianças resolvem muitos problemas aos adultos.
Digo eu.

sexta-feira, 14 de março de 2014

Mudar de Vida

Hoje ouvi na Antena 1 esta música de Carlos Paredes.
E lembrei-me deste homem grande, de uma timidez desconcertante, agarrado à guitarra, dobrado sobre ela, fazendo-a soltar sons mágicos que nos envolvem e nos prendem. E como gostamos deste envolvimento, deste voo ao sabor do som e da melodia...
«Mudar de vida», assim se chama esta música que pertence à banda sonora do filme de Paulo Rocha com o mesmo nome.
Mudar de vida? Com esta música não dá vontade...



quinta-feira, 13 de março de 2014

Palavras I

Gosto desta palavra «destrambelhada».
É uma palavra destrambelhada tal e qual como o seu nome, «destrambelhada».
O destrambelho é que dá origem à destrambelhada e ambos são disparatados.

Mas nem todas as palavras são assim. Quer dizer, parecidas com elas próprias.
Por exemplo, o trambelho, juízo, não me parece nada uma palavra ajuizada!

E é assim a minha opinião acerca do trambelho e do destrambelho.
Deve ser por isso que me sinto mais inclinada para o destrambelho!!!



segunda-feira, 10 de março de 2014

Cantiga grave (não é um bom título...)

"Cantiga Grave" - Mão no chão e pé no ar - Daniel Completo e José Fanha



O primeiro que descobrir onde está a gravidade destes sonhos destrambelhados que diga!!!

Deixo aqui a letra e quem quiser ouvir a canção e ver as divertidas imagens,
seguir o link ou visitar o «Bloguinho do Daniel Completo»


Se uma serpente sonha ser uma galinha 
E se a galinha sonha ser um elefante
se um elefante sonha ser um sardinha
se uma sardinha sonha ser um almirante

REFRÃO
É grave
É muito grave
É grave

Se um almirante sonha ser uma corvina
E se uma corvina sonha ser uma baleia
Se uma baleia sonha ser uma menina
se menina sonha ser uma sereia

REFRÃO
É grave...

Se uma sereia sonha ser uma girafa
E se uma girafa sonha ser uma cantora
se uma cantora sonha ser uma garrafa
Se uma garrafa sonha ser vassoura

REFRÃO
......

Se uma vassoura sonha ser uma gravata
E se uma gravata sonha ser uma chupeta
E se uma chupeta sonha ser batata
Se uma batata sonha ser uma corneta

REFRÃO
......

Se uma corneta sonha ser uma linguiça
E se uma linguiça sonha ser uma chinela
Se uma chinela sonha ser uma nabiça
Se uma nabiça sonha ser uma donzela

REFRÃO
........

Eu penso e fico-me a pensar
Porque será assim tão grave é que eu não sei
Por isso corro e vou depressa p'ra estudar
E assim que souber já vos direi


Mais notícias de dinossauros, ou do tempo em que as galinhas tinham dentes...

Nova espécie de dinossauro encontrado em Portugal

é o maior predador terrestre da Europa

2014-03-05
Uma nova espécie de dinossauro descoberta em Portugal é o maior dinossauro carnívoro do Jurássico e do maior predador terrestre descoberto na Europa,
indica estudo de paleontólogos da FCT-Universidade Nova de Lisboa. Torvosaurus gurneyi, um primo distante do Tyrannosaurus rex, estava no auge da cadeia alimentar na Península Ibérica 150 milhões de anos .

Material pertencente a este dinossauro foi descoberto 70 km ao norte de Lisboa e pensado para ser Torvosaurus tanneri , uma espécie da América do Norte . Primeiro foi encontrado um osso da perna, posteriormente, noutro local, um maxilar superior, dentes, e uma vértebra da cauda por um amador e doado ao Museu da Lourinhã. O dinossauro foi estimado atingir dez metros de comprimento e peso de quatro a cinco toneladas.

"Este não é o maior dinossauro predador pois o Tyrannosaurus , Carcharodontosaurus e Giganotosaurus do Cretácico eram maiores ", disse Christophe Hendrickx da Universidade Nova de Lisboa, e primeiro autor do estudo. "Com um crânio de 115 cm, Torvosaurus gurneyi foi, porém, o maior carnívoro terrestre nesta época, o Jurássico, e um predador ativo que caçavam outros grandes dinossauros como evidenciado pelos dentes forma de lâmina até dez centímetros "

O novo dinossauro é a segunda espécie de Torvosaurus a ser conhecida e é o equivalente europeu de Torvosaurus tanneri da América do Norte. Ambas as espécies foram descobertos em rochas da mesma idade geológica e viviam em ambientes semelhantes dominados por dinossauros.

"A fauna do que é hoje Portugal foi extremamente diversificada no final do Jurássico", disse Octávio Mateus , da Universidade Nova de Lisboa, e co -autor do estudo . "Esta nova espécie de dinossauro carnívoro vem aumentar um pouco mais a diversidade de dinossauros de Portugal. E mostra que estava em prática um mecanismo de especiação que ocorreu durante o Jurássico, quando o Atlântico já estava bem formado e a Europa era um arquipélago", adianta Mateus.

O nome gurneyi homenageia os ilustradores de dinossauro, nomeadamente o artista James Gurney, criador e ilustrador da série de livros Dinotopia que fascinou Hendrickx. "Sempre admirei a reconstrução deste mundo utópico , onde dinossauros e humanos vivem juntos , ele também é um excelente artista e pedagogo".

Torvosaurus gurneyi pertence aos terópodes, um grupo de dinossauros bípedes que deram origem às aves. Embriões de dinossauros descritos recentemente de Portugal também são atribuídas às novas espécies de Torvosaurus.

A descrição detalhada, em que a espécie recebe o seu nome científico, foi publicado na revista PLoS ONE.