Google+ Followers

sábado, 30 de julho de 2011

É tão bom ser pequenino...

A primeira vez que ouvi isto, era já mulher de corpo feito (expressão bonita!) e nunca mais esqueci... Mas não sei onde nem a quem...

e vou repetindo a filhos, netos... com saudade e nostalgia...

É tão bom ser pequenino
Ter pai, ter mãe, ter avós
Ter destino
Ter quem goste de nós

Na verdade, isto é uma estrofe truncada de um fado com letra de Carlos Conde, música popular e cantado pelo célebre Marceneiro. No entanto, creio que se a conhecesse do fado, não teria tido o impacto que teve em mim...ou talvez não...
Pode-se ouvir o fado e acompanhar com a letra aqui:
http://carlosconde.blogs.sapo.pt/5126.html

Mas... não sei porquê, na minha mente esta quadra aparece associada a esta canção do Zeca Afonso de que gosto muito:


Mistérios da psiquê...

Sem comentários:

Enviar um comentário