Google+ Followers

sexta-feira, 31 de março de 2017

DIA MUNDIAL DA POESIA

Foi há dez dias. Mas a poesia é de todos os dias.

Camões. Este ano elejo Camões! 

Verdes são os campos,
De cor do limão:
Assim são os olhos 
Do meu coração

Verts sont les champs,
Couleur citron:
Ainsi sont les yeux
De mon coeur.

Greens are the fields,
De colour of lemons:
So are the eyes
Of my love




Estas traduções foram retiradas da Wikipedia, a grande enciclopédia dos tempos modernos! O saber ao alcance de todos, ao alcance da mão, à distância de um click. Mas não me parece mal. Notemos o pragmatismo da língua inglesa que nos dispensa a interpretação do último verso. É da sua amada que Camões fala. Para quê disfarçar?

Camões, desenho de J., 8 anos
Esta ideia foi despoletada por este extraordinário desenho do J. 
E não é Camões o grande poeta conhecido pelo mundo inteiro? Pois, não dá nome a nenhum aeroporto, não se chama C. R. nem se sabe se alguma vez chutou numa bola (de trapos...)... Algum menino, hoje, sabe o que é uma bola de trapos???

retirado de http://angolainterrogada.blogspot.pt/2010/07/os-donos-da-bola.html

E como não podia deixar de ser, a música de Zeca Afonso a reforçar o lirismo do poema. Os pais dos meus netos aprenderam desde muito cedo esta canção. E os meus netos também. 

Deixo aqui a interpretação do Zeca e uma outra de que também gosto muito, a da Teresa Silva de Carvalho.






Sem comentários:

Enviar um comentário